FASTNET

The greatest WordPress.com site in all the land!

Cientistas fazem cobaias se comunicarem por sinais emitidos pelo cérebro

 

Blog Ciencia

Em experiência inédita, cientistas liderados pelo brasileiro Miguel Nicolellis deram o primeiro passo para criar, no futuro, rede capaz de ligar pessoas através do pensamento. No experimento, ratos se comunicaram por meio de sinais elétricos produzidos por seus neurônios, e colaboraram para a resolução de tarefas, mesmo separados por continentes.

Foi a primeira vez que pesquisadores criaram interface cérebro-cérebro e colocaram em prática o conceito de “brainet”, ou internet cerebral, pela qual seria possível se comunicar através de ondas cerebrais.

O estudo, parceria da Universidade Duke, nos EUA, com o Instituto Internacional de Neurociências de Natal Edmond e Lily Safra (IINN-ELS), foi publicado na revista ‘Scientific Reports’. Os autores fizeram a transferência direta, em tempo real, de informações sensoriais e motoras entre os cérebros de ratos.

Num dos três experimentos, os animais foram treinados para tarefa simples: deveriam acionar a alavanca certa para ganhar água, como recompensa. Depois os ratos receberam microeletrodos na área do cérebro que processa as informações motoras (córtex motor) e foram separados em dois grupos: codificadores e decodificadores.

Os primeiros tiveram a atividade elétrica de seus cérebros registrada durante a execução da tarefa. Um outro grupo foi treinado para receber e compreender essa informação, a partir do eletrodos implantados no cérebro. Quando os cientistas enviaram a estimulação elétrica, os decodificadores traduziram os sinais de forma correta em 78% das vezes.

No teste com o rato recebendo as informações diretamente do cérebro do outro animal, ele pressionou a alavanca certa em 70% das vezes. E a comunicação foi uma via de mão dupla. Como o codificador só recebia a recompensa se o outro fizesse tudo corretamente, houve uma colaboração comportamental entre os animais, dizem os autores.

Também foram feitos testes com ratos codificadores no laboratório em Natal e os decodificadores na Universidade Duke. Para transmitir os sinais elétricos entre os animais, foi usada conexão de internet. E funcionou.

 

Navegação de Post Único

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: